Lago Baikal - a pérola da Sibéria

Este é o mais fundo e, talvez, mais antigo lago do mundo que tem a idade de cerca de 25 milhões de anos. Ele contém quase uma quarta de todos os estoques de água potável do mundo, limpa e transparente. Um disco branco de 30 cm de diâmetro pode ser visto através das águas de Baikal na profundidade de 40 metros.

O lago encontra-se 500 metros em cima do nível do oceano, tem comprimento de 636 km e largura de 20 à 80 km, a profundidade máxima é a mais de 1637 m. O Baikal está habitado por diferentes espécies de animais e tem 850 espécies de plantas, algumas são únicas. Os peixes mais famosas de Baikal são: esturjão, golomiánka e outras. Mas mais apreciada peixe é omul, tem sabor delicado. Os dias de sol na zona de Baikal são muitos – além de trezentos por ano, mais do que nas praias dos mares do sul.

Em outono são frequentes as tempestades de ventos fortes. O lago congela somente na segunda metade de janeiro e se livra dos gelos em maio. O gelo de Baikal, mesmo como água, é extremamente puro e transparente, forma os campos congelados de grande tamanho e em pequenas profundidades pode-se ver os habitantes do lago através do gelo e água. Mais do que três centenas de rios juntam suas águas ao Baikal, mas sai só uma - Angara.

Nasce perto da povoação Listviánka à 70 km da grande cidade de Irkutsk. Neste lugar emerge de água uma pedra – personagem da lenda antiga. Segundo esta, o pai – Baikal - lançou uma rocha atrás da filha desobediente que desrespeitou a proibição do pai, abriu passagem nas montanhas que cercam o lago e foi-se embora ao seu namorado Eniséi. Baikal – é o verdadeiro íman de turistas.

A maioria chega aqui de verão que bastante quente nesta zona. No fim de julho – início de agosto as águas perto da costa são bem aquecidas. É melhor viajar pelo Baikal em pequena embarcação, o que permite variar a rota, visitar pequenos golfos, estreitos, pescar e tomar banhos de sol. Estas viagens ganham popularidade nos últimos tempos. A ilha Olkhón é a mais grande de Baikal, tem costa recortada com rochas altas que formam pequenos e pouco fundos golfos com praias de areia e pedregulho.

A costa ocidental de Olkhón não é tão alta, tem estepes pedrosas e terras salgadas, algumas dunas de areia. A costa oriental, ao contrário, é muito rochosa e alta e forma uma escarpa abrupta ao limite das águas de Baikal. Aqui, a poucos da costa o lago tem sua maior profundidade de 1637 m. O inverno na ilha é muito severo com pouca neve e o verão, ao contrário, é quente e de muito sol. A foca de Baikal frequenta muito a ilha de Olkhón, os cientistas encontraram na ilha os indícios da vida do homem pré histórico.

Os cientistas americanos consideram que os povos antigos de Baikal são antepassados dos índios americanos e é por isto que os povos modernos de Olkhón provocam muito interesse entre os estrangeiros. Os indígenas dizem que nesta ilha, numa cova na rocha de mármore encontra-se sepulcro de Tchingis-Than.

O caminho de ferro em volta de Baikal passa por lindos lugares da costa sul. Esta construção única foi lançada à exploração em 1905. Esta parte do caminho tem o nome “fivela de ouro” no cinto de aço da Rússia. A diversidade da natureza de Baikal, clima inesperadamente suave para esta zona de Sibéria, praias de areia contribuem para o desenvolvimento de turismo nesta região. São organizadas as pistas para esqui de montanha, existem hotéis confortáveis e casas de repouso, há fontes saudáveis, viagens etnográficos e ecológicos, cruzeiros, caça, pesca e muito mais.

Lago Baikal é chamado "pérola da Sibéria”. Ele contém quase uma quarta de todos os estoques de água potável do mundo, limpa e transparente. Um disco branco de 30 cm de diâmetro pode ser visto através das águas de Baikal na profundidade de 40 metros. O lago encontra-se 500 metros em cima do nível do oceano, tem comprimento de 636 km e largura de 20 à 80 km, a profundidade máxima é a mais de 1637 m.

Os dias de sol na zona de Baikal são muitos – além de trezentos por ano, mais do que nas praias dos mares do sul. Em outono são frequentes as tempestades de ventos fortes. O lago congela somente na segunda metade de janeiro e se livra dos gelos em maio. gelo de Baikal, mesmo como água, é extremamente puro e transparente, forma os campos congelados de grande tamanho e em pequenas profundidades pode-se ver os habitantes do lago através do gelo e água.

Baikal – é o verdadeiro íman de turistas. A maioria chega aqui de verão que bastante quente nesta zona. No fim de julho – início de agosto as águas perto da costa são bem aquecidas. É melhor viajar pelo Baikal em pequena embarcação, o que permite variar a rota, visitar pequenos golfos, estreitos, pescar e tomar banhos de sol. Estas viagens ganham popularidade nos últimos tempos.

A ilha Olkhón é a mais grande de Baikal, tem costa recortada com rochas altas que formam pequenos e pouco fundos golfos com praias de areia e pedregulho. A costa ocidental de Olkhón não é tão alta, tem estepes pedrosas e terras salgadas, algumas dunas de areia. A costa oriental, ao contrário, é muito rochosa e alta e forma uma escarpa abrupta ao limite das águas de Baikal. Aqui, a poucos da costa o lago tem sua maior profundidade de 1637 m. O inverno na ilha é muito severo com pouca neve e o verão, ao contrário, é quente e de muito sol. A foca de Baikal frequenta muito a ilha de Olkhón, os cientistas encontraram na ilha os indícios da vida do homem pré histórico. Os cientistas americanos consideram que os povos antigos de Baikal são antepassados dos índios americanos e é por isto que os povos modernos de Olkhón provocam muito interesse entre os estrangeiros. Os indígenas dizem que nesta ilha, numa cova na rocha de mármore encontra-se sepulcro de Tchingis-Than.

Primeiro parque nacional – Barguzínsky foi organizado na Buriátia em 1916 na costa nordeste do lago Baikal com o objectivo de preservar e estudar zibelina. A rota turística “Vereda zibelinês” permite conhecer este animal de peles preciosas. Urso de Baikal e esquila estão bem no meio dos cumes pedrosos e florestas das montanhas, pitorescos lagos e quedas de água. Na quinta central do parque há museu da Natureza, pode-se tomar banho de água mineralizada da fonte quente de sulfato sódico.

A mais famosa enseada de Baikal é Pestchánaya - um lugar maravilhoso. É o monumento natural, um dos símbolos do "lago santo" e base turística de maior popularidade. A praia de areia termina por rochas piramidais – Torres de Sinos Grande e Pequena, em volta crescem cedros e famosas árvores “andantes”. O número dos dias de sol é muito mais grande do que nas estações climáticas de Cáucaso.

“Árvores andantes” são curiosidade principal da enseada Pestchánaya. Os cedros grandes com ramos torcidos por vento parecem xamãs dançarem. Algumas dezenas de anos o vento de Baikal e água removiam areia por debaixo das raízes das árvores e estes se levantaram em cima do solo a mais da altura humana, apoiados por suas raízes.

Lago Baikal, único na sua beleza, está habitado por mais de cinquenta espécies de peixes das quais a mais deliciosa é omul. A pesca no Baikal é tão extraordinária e entusiasmante que os mais indiferentes se tornam pescadores. Pode-se pescar da costa mas é melhor navegar e provar todos os métodos de pesca do omul, nalim e cariús. O principal é o método de pesca com emprego da isca artificial mas há outros mais exóticos. Vão receber aparelhos e isca, só falta é provar.

A foca de água doce é mais uma maravilha de Baikal. Área principal da sua habitação são ilhas Ushcanhi. Dezenas e centenas dos animais bondosos e curiosos saem da água para as pedras da costa para se aquecer sob o sol. Noutros lugares é raro o encontro cara-a-cara com este animal de bigodes e grandes olhos infantis.

Mais do que três centenas de rios juntam suas águas ao Baikal, mas sai só uma - Angará. Nasce perto da povoação Listviánka à 70 km da grande cidade de Irkutsk. Neste lugar emerge de água uma pedra – personagem da lenda antiga. Segundo esta, o pai – Baikal - lançou uma rocha atrás da filha desobediente que desrespeitou a proibição do pai, abriu passagem nas montanhas que cercam o lago e foi-se embora ao seu namorado Enisséi.

Irkutsk é uma das cidades mais bonitas da Sibéria Oriental que tem surgido na área da antiga fortificação de 1661, organizada na margem de Angara a frente de emboçamento do rio Irkút. A Arquitectura neste lugar é uma mistura de diferentes culturas, religiões e épocas. Pode-se encontrar aqui a respeitabilidade ocidental e decoração oriental. Na parte antiga da cidade há muitas casas de madeira, feitas à siberiana de troncos grosos de lariço com decoração de alizares recortados – “barroco da Sibéria”, com altos postes dos portões decorados de recorte também. São interessantes a casa do governador-general e edifício da Unidade geográfica da Rússia bem como famoso teatro de Drama de Irkutsk há pouco tempo restaurado e bem iluminado. Há muitos templos em Irkutsk (incluindo famoso mosteiro feminino Známenskiy) que atraem atenção por seus frescos e tilintar dos sinos. Na cidade há uma sala de órgão.

O caminho de ferro circum baikal passa por costa bonita do sul de Baikal. Esta única construção da engenharia e técnica foi posta em funcionamento em 1905. Às vezes chamam-no “fivela de ouro” no cinto de aço da Rússia por causa da complexidade de construção e efectivamente alto preço. Este caminho liga as duas partes do caminho de ferro Transibérico cortado por lago (nos tempos antigos as carruagens foram transportadas através do lago por balsas).

Nos meados do século passado, por causa de construção da potência central eléctrica de Irkutsk que tem transformado o leito de Angara num depósito aquático uma parte do CFTS ficou coberta de água. Foi construído caminho de ferro mais curto de envolvimento desde Irkutsk até Sliudiánca. Agora o CFTS é o monumento histórico: é um caminho de ferro de uma via de resguardo com muitos túneis, portões e muralhas protectoras. Várias vezes por semana sai da estação Sliudiánca uma locomotiva Diesel antiga que fornece tudo o necessário às aldeias e vilas da costa de Baikal.

O território ao sul e ao este do lago Baikal é de Buriátia – centro budista na Rússia. Actualmente aqui se encontram cerca de três dezenas de templos - datsanes. Os turistas estão atraídos à Buriátia por sua natureza única. No parque nacional de Tuvá nas montanhas Saián pode-se ver vulcões inativos, quedas de águas, covas e muitos lagos. Esta terra há muito que está explorada por homem, o que está provado por ruínas antigas, pinturas e escrita pré históricas na pedra. São atraentes as rotas ecológicas de vigiar a vida das aves, animais e plantas nos parques nacionais e coutos; de subir a monte santa de Munko-Sardýk; de flutuar por rios; de caça e pesca; de visitar fontes quentes. No território da república há mais de 360 fontes térmicas e de águas mineralizadas – archanes. Na Buriátia está desenvolvido o culto do cavalo, aprecia-se muito a força saudável dá leite fermentada de égua – cumýs, vale a pena prová-la.