ARREDORES DE MOSCOVO

Arredores de Moscovo

ARREDORES DE MOSCOVO – é o território em volta de Moscovo num raio de cerca de 200-300 km de Moscovo, uma região histórica sem limites nítidos que ainda ultrapassa a fronteira da própria região de Moscovo. É o coração da Rússia, é aqui que “é tem começado a Terra Russa”.

Em século XIV na área mais próxima de Moscovo se encontrava pequeno principado de Moscovo. Durante muitos anos ele aumentava-se por novas terras até que se transformou num potente estado Russo.

Mosteiros, museus histórico-militares, museus de artes e literatura, pequenas povoações que contam séculos da sua história, inúmeros sanatórios e casas de repouso – tudo isto atrai aos arredores de Moscovo inúmeros turistas. É melhor viajar de carro. Mesmo como capital os arredores são organizados de forma círculo-radial. As estradas como raios saem de Moscovo e são interligadas por vias circulares que o povo costuma chamar “betonizadas” estas antigamente foram de importância estratégica e nem mesmo apareciam nos mapas. Alguns quilômetros além de Moscovo encontram-se inúmeros mercados e centros comerciais intermináveis e só depois começa a floresta e os campos, aparecem pequenas vilas com suas igrejas – tudo aquilo que tem dado início as cantigas tristes do povo, as “cantigas de viagem”, tudo que tem inspirado poetas e artistas.

O território dos arredores de Moscovo é muito maior que a Bélgica, Países Baixos e Luxemburgo. Na parte sul desta região as árvores começam florescer e dar frutas duas semanas antes do que na sua parte norte.

Os arredores de Moscovo contam algumas dezenas de cidades. As mais antigas são Volokolamsk, Dmitrov, Mojaisk, Zaraisk, Kolomna, Serpukhov, Zvenigorod, Sergiev Posad. Em certas cidades há prédios antigos, catedrais, kremlins e mosteiros. Talvez seja Sergiev Posad a cidade mais frequentada por turistas, pois nela se encontra centro da igreja ortodoxa russa – Troitse-Serguieva Lavra. Esta cidade faz parte do trajeto turístico “Volta de Ouro”.

As peças de artesanato dos mestres de arredores de Moscovo são conhecidas em todo o mundo. Muitos turistas desejam adquirir azulejos de Gjel, matrioska de Sergiev Posad, bandeja de Jóstovo, xale de Pavlov Possad ou porta-jóias envernizado de Fedoskino.

A senhoria dos arredores de Moscovo dos séculos XVIII-XIX não é somente uma casa senhorial cercada de um jardim pitoresco. A maioria das senhorias foram centros da vida espiritual. Nelas moravam ou frequentaram com visitas famosos pintores, escritores, músicos, atores. Hoje algumas são museus. Abrámtsevo, Mélikhovo, Muránovo, Shákhmatovo, Polénovo e com certeza Yasnaya Polyana – um lugar em que ao longo de muitos anos trabalhava o grande Leão Tolstoi, um lugar onde foram escritos “Anna Karenina” e “A Guerra e A Paz”.

Esta terra dos arredores de Moscovo lembra muitas batalhas. Nos campos de luta são organizados museus. Estes são: campo Kulikovo onde em foram derrubadas as tropas de tártaros-mongóis, parque nacional e museu histórico-militar de Borodino criado em honra de uma pesada batalha das tropa russas contra Napoleão, conjunto memorial e museu rural perto do desvio – monumento da batalha de Moscovo de 1941.

O espírito de mudanças característico para Moscovo em que se faz uma grande construção reina mesmo nos arredores de Moscovo. São reconstruídos e construídos novos hotéis e estradas, igrejas monumentos arquitectónicos. Cada dia mais casas de repouso, sanatórios e bases turísticas são classificadas ao nível internacional. Centros de negócios, sofisticada metodologia de tratamento e equipamento médico moderno, campos de golfe, parques aquáticos tudo isto existe nos arredores de Moscovo. Os amadores do repouso activo tem possibilidades para praticar quase todos os desportos prediletos desde equitação até paraquedismo e vôos de delta planador. Entre muitas bases de esqui de montanha que se encontram ao norte de Moscovo na região de Yakhroma há um parque “Volen”, centros de desporto “Stepanovo”, “Sorotchany” na aldeia Shukolovo. Esta última está frequentada pelo Presidente da Rússia Vladimir Putin quem é grande amador de esqui de montanha.

É indispensável visitar os arredores de Moscovo a terra antiga que guarda memórias sobre grandes façanhas e grandes homens para entender a Rússia, sentir sua beleza que não dá na vista, conhecer sua história e cultura.

Nos arredores de Moscovo há sua pequena Versalhes – a senhoria “Arkhangelskoye”. No início do século XIX seu dono príncipe Nicolau Yusupov estabeleceu lá suas colecções de belas artes, das quais muitas estão agora no Grande Palácio. Jóia de Arkhangelskoye é o parque regular com colunas de memória, tílias que contam a mais de cem anos, pavilhões, igreja de arcanjo Mikhail, colunas e teatro Grozny com decorações antigas sem par. Monarcas russos, grande poeta Aleksandr Pushkin gostavam de visitar os donos da senhoria. Dizem ainda que em Arkhangelskoye há seu próprio fantasma – o vulto da falecida jovem princesa Yusupova pairando na noite sobre seu túmulo.
Desde primeiros anos do poder soviético a senhoria pertence ao Ministério da Defesa, Lev Trotsky – fundador do Exército Vermelho e outros chefes militares gostavam do descanso na senhoria.

Em século XVII patriarca russo Nikon inventou criar perto de Moscovo uma cópia da Terra Santa e uma cópia de Catedral do Túmulo do Nosso Senhor (representado por Catedral de Ressurreição) e jardim de Getsêmani. Foram construídos o mosteiro da Nova Jerusalém semelhante a antiga Catedral de Jerusalém, parque com fontes e lagos e ermo do Patriarca Nikon.
Actualmente no parque está organizado um museu de arquitectura de madeira. Foram removidos para lá uma igreja de madeira, caza camponesa, capela e moinho dos diferentes lugares dos arrabaldes de Moscovo.

Um dos centros da cultura espiritual russa e o Mosteiro masculine Uspenskiy Iossifo-Volokolamskiy fundado no século XV e reconstruído mais tarde. Desde século XVII são conservadas Portões Santas com uma igreja em miniatura em cima. Neste mosteiro há biblioteca rica em que se encontram mais de um mil de manuscritos e uma coleção de utensílios da igreja, publicações de Bíblia, bordado antigo. As paredes da Catedral principal durante a reconstrução foram decoradas por mestres de Palekh.

Sbramtsevo é a senhoria nos arredores de Sergiev Posad na região de Moscovo. Desde 1870 ela pertencia ao famoso mecenas e industrial Savva Mamontov que costumava hospedar muitos dos pintores russos. Foram eles os autores dos projetos de construção em estilo russo de “Terem” , igreja, “Casa com pés de galinha” (em contos fabulosos russos é a casa da terrível velha Baba Yaga), mesmo aqui foram estabelecidas as oficinas de entalhe em madeira e majólica. Foi em Abramtsevo onde apareceram a luz os quadros que cada russo conhece são “Menina com pêssegos” de Valentin Serov (filha de Mamontov) e “Alenushka” – uma menina camponesa descalça e triste na margem do lago, a mulher maravilha de muitos contos russos (pintor Victor Vasnetsov). Em 1918 foi aberto o museu na senhoria.

Esta aldeia famosa fica situada a 124 km para oeste de Moscovo. Nas suas proximidades encontra-se campo de Borodino. No dia 7 de setembro de 1812 os russos combateram contra as tropas de Napoleão e foi esta a batalha que por muito influiu sobre o término da Guerra Pátria de 1812. Muito mais tarde o Napoleão disse que a batalha de Borodinó “foi a mais horrível” na série de todas suas batalhas. As baixas de duas partes adversárias foram de cerca de 80 mil pessoas.
Actualmente neste lugar está o museu e parque nacional histórico-militar. Cada ano no dia 7 de setembro são organizadas festas e festivais, são representadas as cenas da batalha, desfiles de cavalaria e concertos das bandas de música militares. Nesta festa participam clubes histórico-militares russos e estrangeiros.

Ao fazer viagem de 40 km de Moscovo pela estrada Dmitrovskoe, chega a um canto belo e romântico de um parque antigo da típica senhoria “Marfinno”. Para chegar a senhoria tem que desviar da estrada principal e passar pela via que leva ao lago e atravessa o lago por uma ponte-barreira em estilo pseudo-gótico que faz lembrar um castelo inglês. A porta os visitantes estão convidados por brancos grifes de pedra, e através do arvoredo pode-se ver pavilhões solitários e duas igrejas senhoriais do século XVIII.

Zvenigorod é uma cidade típica e provincial russa. As casas de madeiro com alizar entalhado cercadas por jardins e hortas, algumas antigas construções de pedra, igrejas, museus e nos arrabaldes – fica mosteiro. Há muito que Antón Tchekhov clinicou no hospital municipal. Mas os estrangeiros, franceses em especial, são atraídos aqui por uma lenda. No tempo da guerra de 1812 o príncipe Eugénio Bogarné, enteado de Napoleão chegou para posar ao convento Savino-Storojevsky perto de Zvenigorod. A noite sonhou um encontro com homem velho que lhe proibiu profanar relíquias e lugares sagrados russos e se obedecesse voltar são e salvo e seus descendentes moram na Rússia. Dito e feito, assim mesmo aconteceu, o filho de Bogarné casou a filha do Czar russo e instalou-se na Rússia.

Há mais de cem anos que o famoso escritor russo Anton Tchekhov morava nesta senhoria nos arredores de Moscovo. Foi aqui, onde escreveu a peça “Gaivota”. A casa principal com a entrada em forma de castelo fabuloso tem as mobílias da época do escritor. Os tapetes tecidos abafam o ranger das tábuas do assoalho. E aparece uma sensação de que os habitantes há pouco saíram por um minuto e vão regressando dentro em breve. Há um sino no jardim senhorial que soava para convidar os habitantes à mesa, há um lago e montículo de Levitan pintor de paisagens russas e ainda alameda de amor com seu elmo antigo. Até que as casinhas dos estorninhos são da época de Chekhov. Os canteiros são plantadas de flores maravilhosas da mesma maneira que o próprio escritor costumava fazer. Até agora Melikhovo guarda espírito da época de Tchekhov.

A 12 km de Serpukhov nos arredores de Moscovo há uma das poucas áreas em que habita bisão europeu – única espécie dos touros selvagens da Europa. No início do século XX eles foram eliminados e somente em poucos parques zoológicos haviam alguns animais. Na Rússia esta espécie está recuperada na região norte do Cáucaso e aqui no parque nacional Prioksky. Além do bisão os habitantes são veado pintalgado, desmão, castor e raras espécies das aves. As zonas naturais do parque nacional vão se colocando à margem do rio Oká, o maior afluente de Volga. Os bosques de coníferas deixam lugar à única flora de estepe neste território.

O Vysotskiy mosteiro masculino de Imaculada Conceição e Mosteiro Soberano feminino são dos mais antigos na região de Moscovo e verdadeiras jóias da arquitectura antiga – uma decoração da simpática cidade provincial de Serpukhov. Esta cidadezinha nos arredores de Moscovo é rica de monumentos históricos e culturais. São muito expressivos os pormenores do Kremlin e as igrejas do antigo arrabalde. Serpukhov é famoso por mantas Jacquard de lã ovina de fabrico local.

A senhoria-museu de grande escritor russo Lev Tolstoy está situada na região de Tula ao sul de Moscovo. O escritor nasceu aqui, morava cerca de 60 anos, mesmo aqui foi enterrado.
Em Yasnaya Polyana foram criados romances “A Guerra e a Paz” e “Anna Karénina”. Tolstoy ensinava crianças camponesas na escola que tinha construído, publicava revista pedagógica, trabalhava no campo. No fim do século XIX Yasnaya Polyana transforma-se numa espécie do centro espiritual da intelectualidade russa. Famosos escritores, pintores, compositores e adeptos da filosofia de Tolstoy chegavam para avistar-se com “grande velho”.

Esta cidade a 200 km de Moscovo há muito que está famosa por mestria de trabalhar os metais, sejam armas ou produção de samovares. O museu das armas fundado ainda nos anos do reinado de Pedro I é o mais notável da cidade de Tula. Não há outro museu semelhante em todo o mundo, pois neste estão representadas todas as armas da história humana desde arco e flechas até o armamento moderno mais sofisticado.

O ofício de pão-de-mel é da mesma idade antiga em Tula. Pão-de-mel de Tula está cozido no fogão em molde especial e é muito bonito.
No século XIX em Tula originou a produção de harmónicas e desde então a harmónica de Tula está desfilando triunfante e vitoriosa por toda a Rússia. Os mestres locais aperfeiçoaram instrumento estrangeiro até que apareceu um novo instrumento musical - o antecessor de acordeão de botões moderno que agora é essencial em cada banda de instrumentos musicais russos.

Campo Kulikovo é museu e parque nacional histórico-cultural na região de Tula à 250 km de Moscovo. Em outono de 1380 em campo grande perto de afluente dos rios Don e Nepriadva teve lugar grande batalha de drujinas russas contra as tropas da Horda Dourada. Ainda que Rússia continuou sob o jugo de tártaros-mongóis mais 100 anos depois desta batalha, a vitória no campo Kulikovo influenciou muito sobre a percepção russa da sua força na luta contra domínio estrangeiro. Príncipe Dmitri Donskoi, chefe da tropa russa é o herói nacional. Muitas obras dos pintores, escritores, poetas e compositores russos estão dedicadas à este acontecimento.

Na cidadezinha Sérguiev Possad (70 km ao norte de Moscovo) encontra-se Troitse-Sergeeva Lavra – centro ortodoxo russo, monumento de antiga arquitetura russa. Foi fundado por monge Sergey Radoneysky nos anos 30-40 do século XIV. Filósofo teológico russo Pavel Florenskiy escreveu: “Lavra é um retrato artístico da Rússia em toda sua complexidade e qualquer outro lugar comparado com ele é pura e simplesmente uma fotografia... Aqui encontramos nem só a estética, mas o sentimento da história e sensação da alma do povo”.
O primeiro edifício de pedra no território do mosteiro é a Catedral Troitskiy (da Trinidade) (1423). Neste pode ver o iconóstase do século XV com a colecção de raríssimas pinturas da Rússia antiga. A “Trinidade” de Andrei Rublióv de fama mundial antes de 1929 estava aqui e depois passou para a galeria Tretiakov. Em vez dela no iconóstase foi posta uma cópia.
A parte central do mosteiro está ocupada pelo Catedral Uspenski (1585) que repete em suas formas o Catedral do Kremlin de Moscovo e em dimensões é ainda um pouco mais grande.

Nesta pequena vila nas proximidades de Sergiev Posad passaram os anos da infância do mais honrado santo russo – Sergey Radoneysky. As paisagens locais aparecem no quadro do pintor Mikhail Nésterov “A visão do jovem Bartilomeo” que representa um pastor miúdo – futuro fundador de Troitse-Sergeeva Lavra. Em certa altura Rádonezh foi a capital do principado. Na sua fortaleza de madeira em 1446 grande príncipe Vassiliy II foi preso e cego por seu primo Dmitry Shemiaka, foi por isto que recebeu apelido O Escuro.

Cidade de Kolomna é coetânea de Moscovo e couto de arquitectura antiga, monumentos religiosos, ruínas das torres e muralhas do Kremlin no seu estado natural. Um passeio pelas ruas antigas e pelos arredores desta cidade acolhedor leva-lhe ora ao mundo poético da Rússia antiga ora ao século XIX.

A cidade russa de Ryazan fica situada ao sul de Moscovo e conta sua história desde século XIV embora ao lado existia uma cidade ainda mais antiga do mesmo nome queimada pelos tártaros-mongóis. Um dos poucos monumentos que sobreviveu até agora é a Catedral de Arcanjo destacado por sua arquitectura. Perto da cidade há mosteiro subterrâneo feito dentro da rocha. A terra de Ryazan está em ligação indissolúvel com o poeta russo Sergei Esenin.

Não perca oferta especial de Sputnik Fim de semana em Moscovo

Informação relacionada